AWS Re:Invent 2018 – Werner Vogels key note e os lançamentos de quinta

Como tradicionalmente acontece, o último key note do AWS Re:Invent foi Werner Wogels, CTO da Amazon. Sua apresentação nesta quinta-feira foi repleta de informações sobre como a Amazon opera e estrutura os principais serviços do ecossistema, como S3, Aurora, Lambda entre outros.

Durante toda a apresentação de Werner, Alexa interagiu com Werner e foi criando o enredo para todas as informações que foram apresentadas. Consolidando a importância da Alexa em todos os planos da líder do varejo mundial.

Outro aspecto bastante relevante durante a manhã desta quinta foram as “alfinetadas” de Werner em relação à Oracle. Tanto quanto Andy Jassy em seu key note, o CTO da Amazon ratifica a “guerra” para a “liberdade dos bancos de dados relacionais”.

Quando questionado por Alexa qual teria sido o seu pior dia de trabalho na Amazon, Werner respondeu que foi no dia que, por uma falha no Oracle, a Amazon.com ficou 12 horas fora do ar. Em outro momento, quando Alexa o perguntou qual foi o melhor dia neste ano, Werner foi enfático: no dia em que paramos de usar Oracle e migramos nossa data warehouse completamente para o RedShift. No mínimo emblemático.

Foram percorridos detalhes internos de diversos serviços. Líderes de produtos como Aurora, S3, Lambda, DynamoDB foram ao palco detalhar a robustez e a preocupação com disponibilidade e performance que a Amazon possui para manter os serviços no mais alto nível de qualidade.

Todas as apresentações da semana também deixaram claro que o foco da Amazon são as enterprises ao redor do mundo.  O esforço foi direcionado em demonstrar que o roadmap de produtos e a maneira como eles estão sendo construídos é para atender as maiores empresas do mundo.

E quanto aos lançamentos? Depois de uma hora e meia de apresentação, eles chegaram e inicialmente foram focados em desenvolvimento e serverless.

Suporte a Ruby em Lambda: agora o lambda vai suportar Ruby

Customer Runtimes for Lambda: na prática, o cliente é capaz de rodar a sua própria linguagem na nuvem, ou contratar práticas de parceiros para expandir a portabilidade de linguagem em lambda, como PHP e até (pasme) cobol.

Lambda Layers: altera a estrutura de camadas das funções permitindo que o código possa ser reaproveitado entre funções (como bibliotecas).

AWS Toolkits for PyCharm, IntelliJ, and Visual Studio Code: com os novos toolkits os facilita o desenvolvimento em outros IDE’s de mercado.

Step Functions Service integrations: agora step funcions podem ser usadas para integrar workloads em outros serviços da AWS.

Websocket support for API Gateway: agora o API Gateway suporta websocket, isto ajuda bastante empresas que utilizam este protocolo.

ALB support for Lambda: agora é possível integrar o lambda atrás de ALB’s. Um grande lançamento, já que antes somente era possível atrás de um API Gateway.

Na sequência, os lançamentos passaram a ser mais variados, mas não menos importantes.

Amazon Managed Streaming for Kafka: um serviço gerenciado para a AWS para aqueles que usam Kafka como base de streamings.

Well Architect Competency Partners: agora os parceiros da AWS podem ser certificados a fazer o delivery do framework well-architect. Este framework define as melhores práticas para operar dentro da AWS.

AWS Well Architect Tool: uma ferramenta para auxiliar a adoção do well architect framework, inclusive no treinamento sobre ele.

Ao final da apresentação, Werner apresentou a Re:Play Party que encerra o evento na quinta à noite, colocando não um ponto final em tudo o que aconteceu, mas deixando todos extremamente estimulados a conhecer melhor as tecnologias da AWS e como os novos lançamentos funcionam de fato.

Categorias: