AWS reconhece a BRLink como parceiro do Ano

Por Rafael Marangoni, CEO da BRLink

A jornada de um parceiro da AWS (Amazon Web Services) é cheia de desafios e oportunidades. Ao longo destes anos percorremos todos os estágios de maturidade no ecossistema da AWS, é interessante perceber o quanto evoluímos através da experiência, quase que diária, de conviver com esta empresa admirável.

Ao longo desta jornada, já fomos parceiros de nível registrado, Standard e Advanced. Através de muito trabalho, em 2018, conseguimos atingir o nível Premier, o mais alto nível global de parceria da AWS.

Ao lado do nível Premier, construímos a experiência em cargas de trabalho específicas, verticais de negócio variadas, fomos reconhecidos pela AWS nas competências DevOps e Education e há mais de 5 anos sustentamos o título de Managed Service Provider (AWS MSP).

Desenvolvemos casos de uso extremamente relevantes em diversos segmentos, onde muitos clientes testemunharam a nossa contribuição em seus negócios. Diversos deles podem ser encontrados em nosso site, no site da AWS e na mídia em geral.

Depois de toda esta jornada, nos perguntávamos “o que viria depois?”. Pois bem, veio um incrível e inesperado reconhecimento como parceiro do ano da AWS em 2019 (AWS APN Consulting Partner of the Year). Nosso time verdadeiramente se emocionou ao receber esta premiação tão especial. Isto nos motivou a fazer mais, a ir mais longe e a construir cada vez mais projetos relevantes para os nossos clientes e para o mercado.

O que muda com isso? Nada. Como a própria Amazon costuma dizer: “Still day 1”. Temos que agir como se estivéssemos no primeiro dia de empresa, no primeiro dia da vida profissional, com toda a humildade de um recomeço que deve ocorrer sempre, a cada dia.

Parafraseando Jeff Bezos, CEO da Amazon, se nos sentirmos mais inteligentes quando recebemos um prêmio, teremos que nos sentir mais ignorantes (ou mesmo mais “burros”) quando recebemos uma crítica negativa. Ou seja, a autocrítica é que deve prevalecer sempre, acima de tudo o que vem “de fora”. É importante pensar nisso, para nos mantermos com os pés no chão, mantendo o foco em elevar o nível de excelência sempre.

Há muito ainda a fazer. Esta é a certeza que tenho. Mas a satisfação em liderar um time incrivelmente empenhado em ser melhor a cada dia é o que mais me motiva. Uma galera que se dedica com humildade em aprender, que presta mais atenção às críticas do que aos elogios e que prioriza os resultados de longo prazo ao invés dos de curto prazo.

Na minha visão, o maior legado que um profissional pode ter é o impacto positivo no mundo à sua volta. Estou falando de impacto de verdade, não só de marketing. Hoje posso dizer que estes profissionais da BRLink impactam de verdade na minha vida. Não só tendo me tornado um profissional melhor, mas principalmente, um ser humano melhor. Por outro lado, de minha parte, acho que tenho sido capaz de contribuir em algo positivo para eles também.

Quando olho para a minha história profissional como empreendedor – que se confunde com a história da BRLink – vejo uma história de suor e sucesso. É óbvio que construir uma empresa, que se mantém de maneira sólida por tantos anos e bem posicionada no mercado é uma história de sucesso. Isto, porém, para mim, não é mais relevante do que a história que pude construir com cada uma das pessoas que fazem e fizeram parte do nosso time ao longo destes anos. Estas histórias não estão nos blogs, nos posts, nos ppts. Não cabem ali. Elas estão no coração e na memória de cada um de nós. Elas não têm preço, não podem ser compradas ou vendidas, e fazem toda a diferença.

Outro dia me perguntaram se eu imaginava, quando comecei a empreender, que a BRLink se consolidaria no mercado. É óbvio que sim, acho que ninguém começa o jogo pensando em perder. O que eu não imaginava, porém, é que seríamos mais do que um time: uma família. “Still day 1”.

Categoria: